Introduzindo o Objetivismo

Em 1962, Ayn Rand foi convidada a escrever uma coluna semanal para o Los Angeles Times. Sua primeira coluna foi uma breve introdução à sua filosofia, o Objetivismo. Nesse breve curso, baseado em uma gravação em que Rand lê sua coluna, é possível ouvi-la resumir suas posições sobre a natureza da realidade, a eficácia da razão humana, a natureza do homem e o sistema político ideal.

Eis algumas perguntas que este curso aborda:

  • Quais os princípios básicos do Objetivismo?
  • Qual é a natureza da razão?
  • Qual é o propósito moral do homem na vida?
  • Por que o capitalismo é o sistema político-econômico ideal para o homem?
  • O que está destruindo o capitalismo?

Para aproveitar esse curso ao máximo, sugerimos que você faça primeiro o curso Filosofia: quem precisa dela.

Ayn Rand: a vida de uma escritora

Quem foi Ayn Rand? Que tipo de pessoa foi necessária para criar os herois ficcionais de A revolta de Atlas e A nascente e desenvolver uma nova filosofia da razão? Esse curso em formato de documentário revisa a vida de Rand (1905 – 1982) da perspectiva de seu objetivo de se tornar escritora. Fotografias, clipes e áudio de filmes de seu acervo pessoal ilustram essa narrativa sobre sua carreira. Entre as questões respondidas nesse curso:

  • O que motivou Rand a se tornar uma escritora?
  • Por que ela entendeu ser necessário fugir da Rússia Soviética?
  • Quais foram seus primeiros passos em Hollywood?
  • Como ela se sustentou enquanto trabalhava em projetos de ficção ainda não publicados?
  • Como ela desenvolveu a ideia para a história de A nascente?
  • Por que Cântico foi publicando antes na Inglaterra, e não nos Estados Unidos?
  • Por que as editoras que tinham rejeitado os romances anteriores de Rand desejavam publicar A revolta de Atlas?
  • Por que Rand decidiu focar em obras de não-ficção após publicar A revolta de Atlas em 1957?

Entendendo o Objetivismo

Esse curso, originalmente ministrado por Leonard Peikoff em 1983, é dirigido a interessados no Objetivismo, mas que têm dificuldade para digerir e integrar seus princípios em suas próprias vidas. Peikoff argumenta que, para entender o Objetivismo, e a filosofia em geral, precisamos de um método correto para entender ideias filosóficas, mantendo-as ligadas à realidade.

Utilizando uma combinação de teoria, demonstrações e exercícios, Peikoff explica os aspectos essenciais de um método adequado, incluindo: a necessidade de concretização; o valor (e o uso equivocado) de definições; a importância de reduzir ideias abstratas ao nível perceptual; a necessidade de estabelecer o contexto de uma ideia e entender a hierarquia lógica das ideias. Esses processos são usados para alcançarmos um entendimento mais profundo de diversas ideias centrais do Objetivismo, incluindo: a vida como padrão de valor, a virtude da honestidade, a validação dos direitos individuais, e o mal da iniciação da força física.

Os estudantes do Objetivismo consideram esse curso muito útil para melhorar sua própria metodologia de pensamento e entendimento geral. Esse curso inclui tarefas periódicas. Para extrair o máximo dele, faça cada tarefa antes de seguir para a lição seguinte.

Aviso: Embora o Dr. Peikoff tenha aprovado a criação desse curso em um novo formato, ele não revisou ou aprovou seu conteúdo.

A nascente

O que motiva um pensador criativo? É um desejo abnegado/altruísta de beneficar a humanidade? Um apetite por fama, fortuna e seguidores? A necessidade de provar superioridade?… Ou é um impulso autossuficiente de perseguir uma visão criativa, independentemente das necessidades ou opiniões dos outros? A resposta de Ayn Rand pode ser encontrada em seu retrato de Howard Roark, um arquiteto inovador que, segundo Rand, “luta pela integridade de seu trabalho criativo contra toda forma de oposição social.” A nascente é o tributo de Rand ao espírito americano do individualismo.

Esse curso é uma introdução ao romance que que inclui materiais sobre Rand e a época em que ela o escreveu, um resumo da história, uma análise dos personagens, uma discussão dos temas da história. Entre as perguntas respondidas, estão:

  • Por quais princípios vive o herói da história, Howard Roark?
  • Peter Keating é egoísta — ou abnegado/altruísta?
  • O que Ellsworth Toohey realmente busca em seu relação com os outros personagens?
  • Por que Dominique Francon se opõe à carreira de Roark, mesmo amando-o profundamente?
  • Por que a busca de poder de Gail Wynand fracassa?

 

Esse é um curso valioso para alunos de ensino médio, mas o material é pensado para estudantes de todos os níveis. Você pode assistir ao curso por completo em sequência, ou escolher lições específicas, dado que cada lição é um módulo independente. Professores que desejam utilizar o curso em sala de aula devem escolher lições mais relevantes para seus objetivos.

Alerta de spoilers: esse curso pressupõe que os alunos leram A nascente.

Cântico

Cântico é uma “ode ao ego do homem” de Ayn Rand. É a história de um jovem, Igualdade 7-2521, que anseia por conhecimento. Mas ele vive em um futuro sombrio e distópico em que a ciência e a tecnologia regressaram a níveis primitivos, em que o pensamento independente, a propriedade privada e o amor romântico são abolidos. Obediência ao grupo é tão profundamente aceito que a própria palavra “Eu” foi abolida da linguagem. Como Igualdade 7-2521 pode se livrar dessa sociedade totalitária e coletivista?

Esse curso é uma introdução a Cântico que inclui materiais sobre Rand e a época em que o escreveu, um resumo da história, uma análise dos personagens, uma discussão dos temas históricos e comparações breves com outras obras distópicas populares. Entre as questões respondidas nesse curso:

  • O que inspirou Ayn Rand a escrever Cântico?
  • Quais os aspectos mais importantes dos personagens Igualdade 7-2521 e Liberdade 5-3000?
  • Que ideias levaram ao mundo sombrio relatado em Cântico?
  • Por que Rand afirma que a palavra “ego” é sagrada?
  • Em que pontos Cântico se compara a romances como Admirável Mundo Novo e 1984?

Esse é um curso valioso para alunos de ensino médio, mas o material é pensado para estudantes de todos os níveis. Você pode assistir ao curso em sequência, ou escolher lições específicas, já que cada lição é um módulo independente. Professores que desejam utilizar o curso em sala de aula devem escolher lições mais relevantes para seus objetivos.

Alerta de spoilers: esse curso pressupõe que os alunos leram Cântico.

A moralidade da liberdade

Todas as pessoas defendem a liberdade? Se analisarmos a história da civilização e os movimentos populares do último século, argumenta Onkar Ghate, a resposta é, definitivamente, não. O fato de o valor da liberdade não ser autoevidente destaca a importância de entender seu valor e natureza, em especial, para aqueles interessados em viver livres.

Essa palestra avalia as fundações filosóficas da liberdade como ideal moral e prático, além de oferecer uma análise filosófica da ascensão e queda da liberdade como um ideal do Ocidente. Focando no Iluminismo, Ghate argumenta que a essência do Iluminismo inspirou suas principais figuras para definir e adotar a liberdade política. Entre as perguntas respondidas neste curso:

  • Por que o Iluminismo é melhor entendido como defendendo a razão e rejeitando a obediência à autoridade?
  • Qual é o argumento básico pró-liberdade do Iluminismo?
  • Por que esse argumento não pode suportar os ataques de pensadores dos séculos XIX e XX?
  • O Objetivismo, a filosofia de Ayn Rand, apresenta uma nova defesa dos ideais do Iluminismo?

 

Essa palestra deveria interessar estudantes de todos os níveis, em especial, aqueles interessados em defender a liberdade.

O que é capitalismo?

Nessa palestra de 1967, Ayn Rand faz uma defesa magistral do capitalismo. Explica em detalhe o que é o capitalismo, por que ele é normalmente incompreendido, e por que é o único sistema social condizente com a natureza humana. Ela discute as raízes filosóficas e éticas do capitalismo, contrastando-as com as doutrinas morais e filosóficas que levam ao poder pela força. Então, Rand discute o progresso sob o capitalismo, e como é fundamentalmente diferente do chamado “progresso” de uma sociedade estatista. Ao longo da palestra, Rand responde às seguintes perguntas:

  • Qual é a essência da natureza do homem?
  • Qual é a base fundamental do conceito de direitos individuais?
  • Como o capitalismo é consoante com a natureza humana? Por que outros sistemas sociais não o são?
  • Por que servir o “bem comum” não é o princípio adequado para governar uma sociedade livre?
  • Quais são as diferentes perspectivas sobre o “bem,” e como influenciam as visões das pessoas sobre o que constituiu um sistema social adequado?
  • Qual foi a base ética de todas as tiranias da história?
  • Quem prospera em uma sociedade livre?
  • Como o livre mercado maximiza as habilidades criativas do homem?
  • O que normalmente não se entende sobre o progresso no capitalismo?

 

Essa palestra é baseada em um ensaio homônimo mais longo e detalhado. Para os alunos interessados em conhecer as visões de Rand sobre o capitalismo, encorajamos a leitura do ensaio completo em disponível aqui, além de aproveitar esse curso.

Filosofia: quem precisa dela

O que é filosofia – e como ela é importante para minha vida? Ayn Rand responde a essas questões em seu discurso aos formandos da Academia Militar de West Point, em 1974.

Rand desafia a ideia de que a filosofia é um tema meramente “acadêmico”. Em vez disso, ela argumenta que, quer percebamos ou não, agimos com base em ideias filosóficas – e que a filosofia é uma necessidade prática da vida humana.

Essa palestra ilustrada é um bom ponto de partida para os iniciantes na filosofia de Ayn Rand. Ela se tornou o ensaio principal no livro de Rand Philosophy: Who Needs It.

Introdução ao Objetivismo

Nesse vídeo, o filósofo Leonard Peikoff apresenta os pontos essenciais do Objetivismo a um grupo de estudantes e, depois, responde a suas perguntas. Peikoff, que foi amigo e colaborador de Rand por três décadas, é autor de Objectivism: The Philosophy of Ayn Rand, e é o herdeiro intelectual de Rand. Gravada em São Francisco em 1995 pelo Ayn Rand Institute, ela é composta de 42 minutos de palestra, seguida de 33 minutos de uma sessão de perguntas e respostas.

A revolução anti-industrial

Nessa palestra de 1970, Ayn Rand analisa os argumentos e a motivação por trás do ecologia, o precursor do ambientalismo atual. Separando preocupações legítimas com a poluição da animosidade profunda contra a civilização industrial e o progresso tecnológico, Rand explica sua visão sobre a relação apropriada entre seres humanos e o meio ambiente. Rand responde a questões como:

  • Como o progresso tecnológico, produto da Revolução Industrial, afeta a qualidade e a longevidade humanas?
  • Quais são os resultados prováveis da tentativa de “restringir” a tecnologia?
  • Quais são as implicações políticas da “ecologia”?
  • Quais são os temas válidos no debate sobre a poluição industrial?
  • O que motiva os “defensores” do meio ambiente?

Embora aspectos do movimento ambientalista tenham mudado desde os anos 1970, a essência de sua ideologia não mudou — sua perspectiva filosófica sobre a relação do homem com a natureza. Logo, a análise e a crítica de Rand são tão pertinente hoje como foram em sua época.

Nota: após a gravação dessa palestra em 1970, Rand expandiu o conteúdo de seu discurso inicial em um artigo homônimo. Essa adição valiosa é narrada por um terceiro.